Alerta - Energia

Avaliação:

(0 Avaliações)

Por Adriana Silvestrini - 24/02/2015

Reduzir o consumo também é problema seu. A pressão sobre os custos tende a aumentar

Não é segredo nenhum que cortar custos é sempre necessário e inevitável. Em tempos de escassez de água, de falta de investimentos no setor energético, preços represados e desaceleração da economia, reduzir os gastos com energia se torna urgente. Afinal, fica cada vez mais claro que todo mundo precisa ser responsável pelos recursos naturais utilizados e que a diferença entre lucro e prejuízo passa pela busca obsessiva da redução de consumo energético.

Só o ar condicionado é responsavel por 30% a 60% do consumo total de energia de uma loja, segundo Rodrigo Aguiar, presidente da Abesco (Associação Brasileira das Empresas de Serviços de Conservação de Energia). Os equipamentos de refrigeração ficam na segunda posição, com 25% a 50% do consumo.

Para reduzir os gastos, 0 Walmart, 544 lojas, está investindo US$ 34 milhões na substituição de seus refrigeradores antigos por novos, equipados com portas que diminuem as perdas de ar frio, e na colocação de portas em refrigeradores mais novos. Em 34 lojas, esses equipamentos já ganharam também iluminação LED, bem mais econômica. E, neste ano, 301 lojas terão os refrigeradores com portas adaptadas igualmente iluminados por LED. "O investimento está sendo feito gradualmente em todos os hipermercados Walmart, Big e Bompreço", afirma Gaston Wainstein, vice-presidente do Walmart. Novos aparelhos de ar-condicionado também estão nos planos, enquanto a iluminação já está sendo revista em cerca de 30 lojas. Elas ganharam novas luminárias, que consumirão 40% menos energia do que as tradicionais. A meta da companhia é cortar 12% dos gastos por metro quadrado até 2020, mas o setor de energia da companhia quer reduzir 25%.

O GPA (Grupo Pão de Açúcar), em parceria com a Green Yellow – subsidiária do Grupo Casino – investiu R$ 12 milhões em projetos de eficiência energética, em hipermercados Extra de São Paulo e Rio de Janeiro. E, em uma segunda etapa, desenvolverá centrais de geração solar para fornecer energia sustentável às lojas.

Em 2013, o GPA iniciou ainda programa de automação do sistema de refrigeração, com um projeto- piloto em um dos hiper Extra de São Paulo. A iniciativa resultou em menor desgaste dos equipamentos e melhor prevenção e correção de falhas no sistema, o que gerou uma redução média de 20% no consumo de energia dos refrigeradores. A meta agora é expandir o programa para outras unidades. Outro projeto, esse em uma das unidades Pão de Açúcar, também de São Paulo, envolveu a troca do sistema de iluminação. De acordo com André Ferreira, diretor da Luminae – responsável pela implantação da tecnologia –, a loja obteve 68% de economia de energia e 150% de ganho em iluminação. A base do projeto é um espelho refletor com 95% de índice de reflexão, quando os convencionais têm índice de 80%. Ele tem geometria curvada e espelho liso, potencializando a distribuição da luz. "Os raios emitidos pela lâmpada, que seriam desperdiçados, são redirecionados para os locais que necessitam de mais iluminação. "Assim, é possível utilizar uma quantidade menor de luminárias, alcançando uma economia de até 80% na conta de luz", explica Ferreira.

Segundo o empresário, a maioria dos supermercadistas está mais preocupada com a baixa luminosidade, do que necessariamente em economizar. "Mas quando descobrem o impacto que a redução do consumo tem nos custos, ficam bem impressionados", comenta. Não é para menos. O consumo nacional de energia não para de crescer. De acordo com relatório divulgado pela Empresa de Pesquisa Energética, órgão ligado ao Ministério de Minas e Energia, o consumo nacional, no setor de comércio e serviços, cresceu em média 7,6% nos três primeiros trimestres de 2014. Ele se dá sobre anuais sucessivos: 6,8%, em 2012 e 5,2%, em 2013. Rodrigo Aguiar, da Abesco, acredita ainda que o desconto de 20% na conta de luz, dado pelo governo federal, será anulado até o fim de 2015. "E o preço deverá sofrer aumento acima da inflação, por ter sido represado nos últimos tempos", completa. Essa situação impactará no custo e na competitividade das empresas, o que reforça ainda mais a necessidade de redução de consumo.

» 68% economia de energia em uma das lojas Pão de Açúcar, após troca do sistema de iluminação
Fonte: Luminae

» 12% corte de gasto com energia planejado pelo Walmart por metro quadrado até 2020

» 12 milhões de reais investimentos em 2014 do GPA em novos projetos de eficiência energética, iniciando em lojas Extra de São Paulo e Rio de Janeiro

Como consumir menos
Para reduzir despesa, será necessário algum investimento, porém a médio e longo prazo o benefício será maior

Iluminação

• Ao substituir as lâmpadas incandescentes ou fluorescentes por LED, é possível diminuir o consumo de energia em até 50%. As lâmpadas de LED têm vida útil de até 50 mil horas contra mil das tradicionais

• Estudos comprovam que a luz branca emitida pelo LED aumenta a sensação de segurança de clientes e funcionários. Além disso, problemas técnicos podem ser detectados de maneira remota, desde que se instale tecnologia apropriada. Com o monitoramento é possível, por exemplo, corrigir o eventual desperdício de energia

• É recomendável verificar periodicamente a estrutura das luminárias. Elas podem estar danificadas e iluminando pouco. A troca aumentará a capacidade de iluminação e reduzirá a necessidade de instalação de outras lâmpadas

• O aproveitamento da luz natural, além de diminuir o consumo de energia, reduz os gastos com manutenção dos sistemas de iluminação. É bom lembrar que, de acordo com a ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas), o nível mínimo de iluminação de uma loja é de 500 lux

Refrigeração

• Equipamentos refrigerados e congelados acima de 15 anos gastam mais energia. Aposte nos novos modelos, que reduzem o consumo. Ainda para economizar e facilitar o calendário da manutenção preventiva, vale a pena apostar em instrumentos digitais de controle, como os termômetros e termostatos, bem como os softwares de gerenciamento a distância

• Confira a capacidade de exposição dos produtos dos balcões refrigerados. Cada balcão ou expositor tem um limite que deve ser respeitado. Veja a linha de carga máxima indicada no próprio equipamento. Caso esse limite seja ultrapassado, a loja enfrentará maior consumo de energia e ainda colocará em risco a qualidade dos produtos, por não estarem suficientemente resfriados. Os repositores devem ser orientados e monitorados

Ar-condicionado

• Para funcionar de forma correta e consumir apenas a energia necessária, é preciso manter portas fechadas; colocar cortina de vento ou porta com sensor de presença

• Equipamentos com 25 anos ou mais, sem manutenção correta, consomem no mínimo 30% mais de energia. O indicado é substituí-los por novos. Um ar-condicionado com manutenção adequada pode durar 25 anos

Fonte: Abesco


Novo sistema de iluminação em loja do GPA

Espelho refletor com alto índice de reflexão reduz número de luminárias e até 80% na conta de luz


Sistema antigo

Iluminação Média: 430 lux

Potência específica: 40,72 W/m2

Eficiência energética: 11,37 lux/ (W/m2)

Potência total: 46.208,80 W

Área da loja: 1.134,90 m2


Sistema atual

Iluminação Média: 1.075 lux

Potência específica: 12,99 W/m2

Eficiência energética: 82,7 lux/ (W/m2)

Potência total: 14.740,00 W

Área da loja: 1.134,90 m2


Resultados alcançados

» 68% economia de energia

» 150% em ganho em iluminação

» 627% ganho em eficiência energética

Veja mais sobre: _ed201502, energia elétrica,

Comentários

Comentar com:
Publicidade

GPS - Guia prático de sortimento

Aqui você pode navegar por todas as seções e categorias de produtos. Utilize um dos filtros abaixo para visualizar as informações:

BUSCAR

ENQUETE


Resultado parcial

teste erik vm2

  • 1 0% 0 votos
  • 2 0% 0 votos
  • 3 0% 0 votos
Publicidade