Arroz integral nutritivo para os lucros

Avaliação:

(0 Avaliações)

Por Tatiana Assumpção - 18/12/2014

O consumo de arroz integral no País tem crescido cerca de 20% ao ano.

O consumo de arroz integral no País tem crescido cerca de 20% ao ano, enquanto o do arroz tradicional se mantém estável. O dado é da Abiap (Associação Brasileira das Indústrias de Arroz Parboilizado). Marco Aurélio Amaral Jr, presidente da entidade, atribui o aumento à maior oferta do produto e à propagação de informações sobre seus benefícios. É verdade que a participação do arroz integral na produção total do grão ainda é muito pequena – cerca de 1% –, mas cada vez mais o consumidor se sente atraído pela versão. Ela supera a convencional em valor nutricional e fibras. O produto tem sido recomendado por nutricionistas e se tornado popular entre pessoas que buscam uma alimentação mais saudável. Segundo a fabricante Camil, quem consome o grão integral raramente leva o arroz tradicional. "Já quem compra o branco ainda tem resistência a experimentar o integral", afirma Alexandre Du Rocher, gerente de marketing da empresa. Para ele, o apelo promocional não interfere no volume de vendas do arroz integral. "Quem decide por essa versão faz uma escolha por benefícios", comenta. Mas ele acredita que existem outras formas de incentivar a compra, como distribuição de receitas e degustação, palestras de nutricionistas sobre a qualidade do produto, divulgação em tabloides e site das propriedades dos itens integrais, incluindo o arroz.

Na empresa, o volume de vendas do integral cresceu 33% no ano fiscal 2013/14, em relação ao anterior. "Para este ano, a estimativa é 25% de crescimento", afirma Du Rocher. Já na rede de supermercados São Vicente, que atua no interior de São Paulo, as vendas do pacote de 1 kg de arroz integral sobem 57% ao ano. "Nossa expectativa é de que o volume cresça 30% nos próximos dois anos", explica Benedito de Paula, comprador da rede. Segundo ele, há cinco anos, a participação do grão integral na venda total de arroz era de apenas 0,5%. Hoje, é de 2%.

Há dois anos o arroz integral passou a ser oferecido aos consumidores da rede Pague Menos, com supermercados na região de Americana, em São Paulo. "De 2012 para 2013 houve um crescimento de 53% na venda do produto. E de 2013 para 2014 o crescimento foi de mais 17%. O Pague Menos trabalha com 14 marcas de arroz integral, sendo 13 com embalagem de 1 kg e uma com embalagem de 2 kg", conta Edna Brunheira, compradora da rede. Em setembro deste ano, a rede vendeu 41% mais de arroz integral do que no mesmo período do ano anterior. Hoje, o segmento representa 3% do total das vendas da categoria. Segundo Edna, o preço do integral ao consumidor final é, em média, de 20% a 25% superior ao do arroz branco. Já a margem líquida média aplicada ao produto costuma ser de 25%. Ela explica que a localização adotada no Pague Menos para a categoria é na área tradicional, ao lado do arroz branco. Isso porque o tráfego de clientes nesse corredor é bem maior do que em outros, como o de itens light e diet, tradicionalmente ligados à saúde. "Quando o cliente procura a versão integral vai direto à área de arroz. Logo, é lá que o produto deve estar. E é lá também que ele será notado por quem ainda não consome, mas poderá um dia consumir", diz Edna.

Ela acredita que associar o produto à saúde é o que mais impulsiona o consumo. "O principal apelo do arroz integral é que não precisa de óleo e, além disso, gera uma saciedade maior", comenta. No entanto, ela reconhece que seu sabor ainda causa uma certa resistência. Daí algumas marcas já oferecerem arroz integral com sabor semelhante ao do arroz branco. "A questão do preço também é levada em conta, e quem acaba comprando é aquele cliente que busca um alimento mais saudável, mesmo que tenha valor maior", finaliza Edna.

Como vender mais
Aproveite o apelo à saúde para vender mais. Coloque placas na seção, distribua panfletos e divulgue nos tabloides e no site os benefícios do arroz integral. Um deles é o fato de ser rico em fibras e, portanto, ajudar no funcionamento do intestino. Seu consumo também confere uma sensação de saciedade maior do que o arroz tradicional. Alguns consumidores não introduzem o produto regularmente em sua alimentação porque estranham o sabor. Por isso, dicas de como prepará-lo para ficar mais saboroso são bem-vindas. Exposição casada com outros alimentos que tenham apelo à saúde também incentivam as compras.

Resultados saudáveis

» 20% alta anual no consumo de arroz integral, segundo a Abiap

» 25% margem líquida média nas lojas da rede Pague Menos

» 33% aumento das vendas na Camil ano fiscal 2013/2014

» 30% estimativa de aumento nas vendas da versão de 1 kg, na rede São Vicente, nos próximos dois anos

Veja mais sobre: Arroz,

Comentários

Comentar com:
Publicidade

GPS - Guia prático de sortimento

Aqui você pode navegar por todas as seções e categorias de produtos. Utilize um dos filtros abaixo para visualizar as informações:

BUSCAR

ENQUETE


Resultado parcial

teste erik vm2

  • 1 0% 0 votos
  • 2 0% 0 votos
  • 3 0% 0 votos
Publicidade